sábado, 27 de outubro de 2007

Make your own flag!


Hoje eu não vou divagar nem nada, vou escrever sobre ontem. Sim, porque ontem foi o show da Bjork (meu teclado não tem trema) no Tim Festival. Não, eu não vou "desconstruir Bjork" nem falar sobre "a relevância do experimentalismo no cenário musical moderno" por dois motivos. O primeiro é que eu não sou nem nunca quis ser crítica musical, o segundo é que isso é uma cretinice, na minha opinião. Vou falar sobre o show que eu assisti ontem, que é o que eu acho que qualquer adolescente não-cretino faria em meu lugar.
Bem, era o Tim Festival na Marina da Glória... Para começar, o lugar é lindo, realmente lindo. A decoração pro festival, as luzes, a vista, tudo. Muito bem estruturado, muito bem organizado e, claro, muito caro, o que no fundo não é ruim - com o copo de cerveja a R$4,50 não tinha sequer um bêbado enchendo o saco.
Na nossa tenda, "Tim Volta", nós entramos umas oito horas, que era a hora marcada pra começar, e estava bem vazia ainda. Fomos para a grade, óbvio, e lá permanecemos. Teve o show da Anthony and the Johnsons, que eu defino com uma palavra: desgraça.
Acabou a tortura e alguns minutos depois as luzer foram apagadas outra vez e entraram algumas mulheres, marchando em fila pelo palco e tocando uns instrumentos de sopro, e elas foram para o canto do palco. Nisso, entra correndo, dançando, pulando, cantando, gritando e mil outros "ando" pelo outro lado do palco ela, A Bjork. Linda, caralho, linda! Cantando Earth Intruders e terminando com um "Obrigado, Rio de Janeiro!" bem simpático. Nisso o Leandro passa mal e vai pra trás e eu e Fred continuamos com nossas barrigas grudadas na grade, claro. O show continuou, muito muito bom, ela com uma presença de palco que eu nunca tinha visto e não imaginava que ela tivesse, com direito a jogar uma teia pelo palco e tudo, e sem ninguém empurrar nem encher o saco na platéia. A última música foi o ponto alto. "Declare Independence", com o tal coro no meio do palco, muito animado... Cara, eu amei esse coro. Dava pra ver que aquelas mulheres gostam muito do que fazer e estavam realmente felizes por estarem lá.
Depois do show nós falamos com uns artistas e tal, coisa de tiete mesmo :) Os que eu mais gostei de ter visto foram o Marcelo Camelo, o Barba, o Lenine, a Fernanda Torres e o Selton Mello.
Enfim, ontem foi ótimo. A única coisa que atrapalhou foi a quantidade de gente super legal e diferente que tinha lá... O pessoal bonito e inteligente (babaca) me irrita.

5 comentários:

Catarina disse...

Ainda bem que o pessoal era babaca, se fosse só bonito não seria mt legal não.......

Nan Giard disse...

ai q inveja!
poxa, eh foda saber q pra um show ser foda (em termos de iluminação, etc.) tem q ser tao caro. Queria mto ter ido na Bjbj (se pronuncia "bibi" apelido carinhoso dado por mim a ela) hahaha

ah, nao acredito q o leandro foi la pra tras! porra, poderia estar morrendo, mas ficava na grade haha

tinha mto pseudo lá? hehe aposto q sim.
beeeijos e saudades =****

tek.o disse...

cara! esse post me deixou com água na boca!
uma pena que eu não possa ter ido, mas acontece né?

e realmente o tim festival é CHEIO dos famigerados mudérnos.

Luiz Ribeiro disse...

qd vier pro rio é q vc vai odiar esse povo.

Anônimo disse...

[url=http://cialisonlinehere.com/#zjgmb]cheap cialis online[/url] - buy cheap cialis , http://cialisonlinehere.com/#onuoi buy generic cialis